Sábado, 27 de Fevereiro de 2010
AI QUE TERRORISTAS DA BANHA DA COBRA...AGORA SÓCRATES FOI TODO ALEGRE PARA MOÇAMBIQUE //// ANTES FAZIA PARTE DO PRIMEIRO MUDO ...AGORA SÓ FAZEM PARTE DO TERCEIRO MUNDO...Cuidado Sertã, Vila De Rei, Proença A Nova, Mação, Gavião, Oleiros, Loule.

 

As coincidências são tantas com Sócrates e o PS e sua companhia ilimitada . Que é impossível que não haja nada de traz das cortinas a mandar. Querem ver um exemplo aqui bem perto. Cardigos o homem que representava o PSD na Junta Da Freguesia estava velho e cansado. Então resolverão deixar outra pessoa mais nova representar PSD a Junta Da Freguesia de Cardigos. Este rapaz chama-se Paulo Silva nasceu em Lisboa e decidiu vir enriquecer o nosso meio rural em termos de juventude e ganhou a Junta Da Freguesia de Cardigos. O verdadeiro problema é que ele trabalhava para uma Caixa Geral Bancária em Cardigos e que mais ou menos pertence ao governo ou qualquer coisa assim. No culto Português coisas assim são sempre controladas por aqueles SENHORES DOUTORES NINGUÉM DO 25 DE ABRIL . Estes que hoje dominam todos os postos chaves da nossa sociedade Portuguesa sem o merecer...O que aconteceu foi logo um grande " Push Back " por traz das cortinas. Meterão lhe logo os paus nas rodas. Quando souberam que ele se representou como PSD uma semana depois foi logo enviado para Vila De Rei trabalhar, numa sucursal alheia, num Concelho mais longe...Como Aviso...Mas Ganhou...Isto será verdade ou folclore ou o Português ainda a Democracia aqui não chegou????? E PROVAS OU CULPADOS NÃO INSISTEM ?????TIVERAM QUE MUDAR NAQUELA SEMANA?????


Carta que avisou Vara das escutas está assinada

 

 

A carta que Armando Vara recebeu, no início de Junho do ano passado, e que revelava que o telemóvel de José Sócrates estava sob escuta não é anónima. Está assinada por um indivíduo que até facultou o seu número de telemóvel para o ex-administrador do BCP, se assim o entendesse, o contactar. O DN ligou para o número. Do outro lado, um homem, cujo nome bate certo com o que consta da carta, atendeu. P. N., porém, negou que alguma vez tivesse escrito tal documento.

A missiva tem no cabeçalho e no final o nome P. N. (o DN não o revela na íntegra, por expresso pedido do interlocutor). E, segundo informações recolhidas, já estará a ser investigada pelo DIAP de Coimbra, onde decorre um inquérito sobre eventuais fugas de informação para alguns arguidos do processo "Face Oculta".

O documento, que terá chegado às mãos de Armando Vara no início de Junho de 2009, foi apreendido pela Polícia Judiciária, em Novembro de 2009, na primeira série de buscas feitas no âmbito daquele processo. O autor é claro: "Avise ou mande avisar o amigo José Sócrates que o seu telefone encontra-se em escuta (não por email, nem por telemóvel ou telefone). Só soube ontem de fonte segura. Se for preciso contar-lhe-ei tudo em pormenor (sem ser por email ou telefone)." O autor da carta diz ainda que ao escrever a Vara se encontra "um pouco nervoso", pedindo ao ex-administrador do BCP que, "depois de a ler", destruísse o documento.

O caso ganha alguns contornos surreais, uma vez que ontem, contactado pelo DN, o tal P. N. que consta como autor da carta negou a autoria da mesma. "Não conheço o Armando Vara, não escrevi carta nenhuma", garantiu. O homem, que confirma viver em Coimbra, foi questionado sobre se já foi ouvido pelo DIAP local. "Não sei nada disso, nunca fui ouvido", garantiu (ver entrevista em baixo).

Este é o problema: a carta está assinada por um P. N. que indicou um número de telemóvel. O DN ligou para o número. Um P. N. atendeu, mas negou terminantemente a autoria da missiva. Outro problema é que este mesmo P. N. assegurou que tinha este número há apenas um mês. Mas este número está num nome igual ao seu, pelo menos há oito meses na carta de aviso que foi para Vara.

Ao que o DN apurou, Armando Vara não terá contactado P. N., porque, segundo o que disse em entrevista à RTP, não "ligou à carta", tendo-a guardado numa gaveta (onde a PJ a foi encontrar). "Não liguei nada, nunca mais pensei no assunto", afirmou.

Vara foi confrontado com esta carta durante o interrogatório no DIAP de Aveiro. O procurador Marques Vidal estava convicto de que foi Vara que informou os outros arguidos do processo "Face Oculta" de que estavam a ser escutados, levando à troca de telemóveis e cautela no conteúdo das conversas.

Mas, a ser verdade que a fuga foi feita através desta missiva, cairá por terra a tese que ontem o jornal Sol fundamentava, segundo a qual só a partir do momento em que o procurador-geral da República soube das investigações os arguidos foram informados da vigilância.

A carta terá sido entregue no edifício do BCP e chegado às mãos de Vara no início de Junho de 2009. Porém, segundo as escutas telefónicas, Vara continuou a falar normalmente ao telefone, sendo interceptado em várias conversas, hoje consideradas comprometedoras. A dúvida é se, de facto, deu algum crédito à missiva ou a ignorou completamente.

Fuga da Procuradoria?

O PGR foi informado a 24 de Junho, numa reunião com Marques Vidal e o procurador distrital de Coimbra. Segundo o Sol, poucos dias depois, a 7 de Julho, os investigadores da Polícia Judiciária que realizam as escutas telefónicas juntaram a seguinte informação ao processo: "Resulta das intercepções das comunicações de e para os telemóveis utilizados pelos suspeitos Manuel Godinho, Armando Vara e Paulo Penedos, que, pelo menos no dia 29 de Junho, aqueles assumiram como fortemente provável, senão mesmo certo, que os telemóveis por si utilizados, ou pelo menos alguns deles, estariam interceptados."

Esta conclusão, acrescentam os elementos da PJ, "advém quer do conteúdo das conversações quer da verificação de uma diminuição acentuada do tráfego de comunicações".

 

 


Convite

Sócrates dá primeiro sinal a Alegre

por DAVID DINISHoje

 Primeiro-ministro sugeriu ao candidato presidencial que integrasse a sua comitiva na visita a Moçambique

Uma semana depois da entrada de Fernando Nobre na campanha presidencial e dos avisos de Manuel Alegre de que não será "candidato a qualquer preço", aparece o primeiro sinal de reaproximação do líder socialista ao seu ex-deputado. Sócrates convidou Manuel Alegre para integrar a sua comitiva na visita oficial que realizará a Moçambique na próxima semana. E o poeta aceitou.

Oficialmente, a razão para o gesto de simpatia é esta: Alegre foi o presidente do júri do Prémio Leya, que premiou, este ano, o escritor moçambicano Borges Coelho. A entrega será feita em Maputo e ficou agendada para quinta-feira, o penúltimo dia da visita oficial. A data estaria já acertada e, segundo o Expresso, foi Alegre quem ligou a Sócrates para lhe contar a "coincidência". Acto seguinte, o primeiro-ministro não só incluiu o acto na sua agenda oficial como convidou o socialista a viajar consigo, como convidado de honra.

Não há quem o confirme oficialmente. Mas o certo é que o gesto de Sócrates já é lido publicamente como um primeiro gesto de aproximação. Alegre, já se sabe, espera por um apoio oficial do seu partido na corrida a Belém. Sócrates já disse que só depois de votado o Orçamento do Estado decidirá. Mas esse estará fechado daqui a duas semanas.

Mas nem só de Alegre viverá a viagem a Moçambique, a primeira saída do chefe do Governo nesta segunda legislatura. O primeiro- -ministro leva consigo cinco ministros (Luís Amado, Santos Silva, Vieira da Silva, Helena André e Gabriela Canavilhas) e outros tantos secretários de Estado. Convidou 53 empresários, sete representantes de associações empresariais e 12 líderes institucionais.

Uma comitiva recorde, sobretudo com razões económicas. "Queremos manter uma linha que tem dado resultados", alega fonte oficial de São Bento: "Concretizar projectos empresariais que dêem ganhos claros na balança comercial." E ela bem precisa. É que, apesar das melhorias registadas nos últimos anos, Portugal é apenas o 7.º fornecedor de Moçambique. As exportações totalizaram, em 2009, 120 milhões de euros, o que faz daquele país o 27.º na lista dos destinos nacionais. "Ainda é pouco", assume a mesma fonte.

Durante os quatro dias de estadia em Maputo, Sócrates terá vários momentos para promover os empresários que leva no avião. Sobretudo um fórum dedicado às energias renováveis, o ex libris'do seu Governo. Para o primeiro-ministro, Portugal tem já experiência suficiente para criar investimento lá fora nesse domínio. E, para isso, os países lusófonos são -obviamente - o melhor terreno para começar. De resto, a experiência em Cabo Verde parece prová-lo, estando já em construção dois projectos de centrais solares. Moçambique será, quem sabe, o próximo.

Pelo meio, haverá lugar à tradicional passagem pela Barragem de Cahora Bassa, de que Portugal é ainda accionista. Momento simbólico, como o da passagem pela sempre visitada Escola Portuguesa de Maputo, que nenhum chefe de Governo dispensa da agenda oficial. Será na sexta-feira, antes do regresso a Lisboa.

publicado por Verde Pinho às 08:05
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 5 de Fevereiro de 2010
COMO COSTUMA SER MAIS UMA VEZ O P.S. NEGA TUDO E DIZ QUE NÃO HÁ NADA. ESTÁ TUDO BEM! ENQUANTO O MUNDO INTEIRO DIZ QUE ESTÁ ERRADO E HÁ QUALQUER COISA DE BEM GRAVE????? Cuidado Sertã, Vila De Rei, Proença A Nova, Mação, Gavião, Oleiros e Loulé.
COMO JÁ É HÁBITO MAIS UMA VEZ O PS NEGA TUDO. DIZ QUE NÃO HÁ NADA. QUE ESTÁ TUDO BEM. ENQUANTO O MUNDO INTEIRO DIZ O CONTRÁRIO E QUE ESTÁ BEM ERRADO E QUE HÁ QUALQUER COISA DE BEM GRAVE.

O fez com a Casa Pia , Carolina Salgado , Voos Da Cia , Freeport , O Duvidoso Diploma Do Sócrates , Portucale , Bpn , Face Oculta , O Jornalista Mário Crespo e agora com a Economia Mundial????????????????

Como Eu digo o PS e o seu primo direito o PSD somente praticam politica de praia. "VAI TUDO PARA A BEIRA MAR". Agora até já vai para mais longe, para o meio do Atlântico ! Por isso Portugal está assim. " POBRE PORTUGAL" o interior de Portugal, norte a sul está esquecido por estes dois partidos desde a revolução dos cravos o interior arrasta. Ainda ontem o PSD e o seu primo direito o PS aprovaram, na votação a proposta de alteração da lei das finanças regionais. 

"Políticos portugueses autorizam governos regionais a gastar mais mas não na zona regional do interior do Pais. "
 
"Mesmo a saber-se que vai fazer mal ao Pais."

- "A Lei das Finanças Regionais passa, apesar dos alertas sobre o défice"

O PSD ajuda a espetar mais um prego no caixão da economia Portuguesa, mesmo a saber o que vai fazer mal.

COMO EU SEMPRE DIGO ESTE VELHO DITADO " CADA PAÍS TEM O GOVERNO QUE MERECE".

Clique para ver video

Numa entrevista ao programa Quest means business ", o ministro das Finanças reafirmou que Portugal vai conseguir reduzir o défice sem ajuda externa e considerou a reacção dos mercados excessiva.

"Os mercados estão a exagerar", afirmou Teixeira dos Santos quando questionado sobre as recentes quedas das bolsas e subida dos indicadores de risco da dívida pública, no programa da CNN.

Quando questionado sobre se Portugal tencionava recorrer a algum tipo de auxílio das instituições internacionais para reduzir o défice das finanças públicas, o ministro respondeu que não.
 
publicado por Verde Pinho às 22:54
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Quinta-feira, 4 de Fevereiro de 2010
VIVA A ENERGIA VERDE>>>>European Renewable Energies Transfer System na SERTÃ perto de Vila De Rei, Proença A Nova, Mação , Gavião , Oleiros e Castelo Branco.
SERTÃ – As energias renováveis e o concelho sertaginense PDF Imprimir e-mail
03-Fev-2010

<input ... >A Casa da Cultura da Sertã continua a acolher a conferência de lançamento do projecto europeu Renewable Energies Transfer System (RETS).
Já durante esta tarde, coube a José Farinha Nunes, presidente da Câmara Municipal da Sertã, falar das potencialidades do concelho em termos de energias renováveis e lembrou "a liderança histórica que este concelho tem na região e a sua experiência neste âmbito desde a década de 50 do século passado". O autarca falava da construção das Barragens de Castelo de Bode em 1951, do Cabril em 1954 e da Bouçã em 1955, as quais são responsáveis pela produção de 400, 300 e 150 GWh/ano, respectivamente. Com a Barragem de Castelo de Bode em território sertaginense, foi com orgulho que este autarca confirmou que "a nossa região é a principal fonte de água potável que abastece Lisboa".
As preocupações nesta matéria são assim longínquas o que faz com que "produzamos mais energia o que aquela que consumimos", confirmou o edil.
A Sertã pretende igualmente "difundir pela região a sua experiência, dinamizar o crescimento económico e ter papel decisivo na pegada do Carbono zero, bem como consumir cada vez menos energias fósseis e aproveitar os recursos naturais como sendo o sol, a água, o vento, entre outros", referiu José Nunes.
Além das barragens, o concelho possui também um Parque Eólico com 26 aerogeradores, o qual se iniciou em 2004 e que está ainda em expansão e a Central de Biomassa da Palser que está em fase de testes. "Produzimos quase todos os tipos de energia limpa", reforçou o edil que falou ainda da microgeração, ainda em projecto.
Coube a Alzira Serrasqueiro, Governadora Civil do Distrito de Castelo Branco, encerrar os trabalhos da manhã e dar conta do que tem sido feito no distrito em termos de energia renovável. Mas antes, a governadora reportou-se a um artigo do jornal Le Monde para falar da contradição que existe entre preservação do <input ... >ambiente e consumismo. "Por um lado o ambiente é centro de preocupações e por outro não queremos prescindir de nada", disse. É por isso que, de acordo com Alzira Serrasqueiro este tema "desperta paixões" e "é o maior desafio para a nossa geração". A primeira mensagem da sua intervenção foi assim no sentido de "termos que olhar a médio prazo e investir fortemente nesta área", confessando-se orgulhosa na medida em que as energias renováveis estão bem implementadas no Distrito. Reportando-se a meados de século passado refeririu as construções das Barragens de Castelo de Bode, da Bouçã e do Cabril. Nos últimos 10 anos o distrito de Castelo Branco foi pioneiro em produção de energia eólica nos concelhos de Vila Velha de Ródão, Oleiros, Sertã e Castelo Branco. Alzira Serrasqueiro fez assim a ponte para os tempos actuais para falar da Central de Biomassa na Sertã e para dizer que a floresta assume um papel preponderante.
A referência à utilização de energia renovável dos novos Paços do Concelho de Proença-a-Nova e da Piscina Coberta da Sertã foi óbvia e a Governadora não quis deixar passar em claro a utilização da Energia Geotérmica no Lar do Castelo, concelho da Sertã. Em jeito de brincadeira acrescentou que "só falta mesmo o mar por perto para se dele tirar também partido".
A terminar deixou a outra mensagem, a de que "sejam utilizadas cada vez mais as energias renováveis as quais têm um menor impacto a nível ambiental" e que o distrito, "apesar de estar bem lançado nesta matéria não vai baixar os braços".

SERTÃ – Cooperação entre parceiros apoiada pelo governo PDF Imprimir e-mail
04-Fev-2010
<input ... >O lançamento do projecto europeu Renewable Energies Transfer System (RETS) decorreu ontem na Sertã, na Casa da Cultura, na presença de mais de 150 pessoas ligadas ao sector das energias renováveis de toda a Europa, entre eles os 12 parceiros nacionais e internacionais deste projecto.
Os tempos actuais são complexos e de particular desafio. José Carlos Zorrinho, secretário de Estado da Energia e Inovação esteve presente no encerramento do dias de trabalhos e veio à Sertã dizer que “as energias renováveis são uma das soluções de futuro para o país sair da crise”, na medida em que “somos todos desafiados a construiu um novo modelo económico” baseado num “esforço individual e em comunidades fortes com coesão territorial, diversidade e capacidade de colaborar em rede, percebendo que os recursos que temos são para ser todos utilizados”, referiu o membro do Governo.
O momento é assim de oportunidades de desenvolvimento para o país e de acordo com o governante Portugal pode ser líder em termos de energias renováveis. A cooperação entre regiões é importante e o RETS vem sublinhar este aspecto, reforçou José Carlos Zorrinho, que apelou à “inteligência dos intervenientes para juntar produções”. O momento é por isso de viragem e há que saber tirar partido disso, lembrando a futura barragem do Alvito que será instalada na região.
O objectivo principal é melhorar os conhecimentos e as competências dos responsáveis políticos locais e regionais em matéria de energias renováveis, de modo a facilitar a concretização de estratégias coerentes e com impactes económicos positivos.
 
Foi tirado do http://www.radiocondestavel.pt/site/ 
publicado por Verde Pinho às 16:02
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 1 de Fevereiro de 2010
O Fim da Linha, por Mário Crespo em Lisboa, SERTÃ , MAÇÃO , VILA DE REI, CERNACHE DO BOM JARDIM, GAVIÃO , PROENÇA A NOVA, OLEIROS, CASTELO BRANCO, PORTO, LOULE,

segunda-feira, 1 de Fevereiro de 2010

O Fim da Linha, por Mário Crespo

 

 

Não sei se já reparou mas Mário Crespo escreve (pelo menos) semanalmente para o JN. Tem uma coluna de opinião. Por regra, em qualquer pasquim minimamente decente, o director do jornal e os editores não mudam nem censuram artigos de opinião.
Se o que aqui se diz é verdade, a situação é bastante grave. E tendo em conta casos anteriores começa a ser preocupante...
 

Terça-feira dia 26 de Janeiro. Dia de Orçamento. O Primeiro-ministro José Sócrates, o Ministro de Estado Pedro Silva Pereira, o Ministro de Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão e um executivo de televisão encontraram-se à hora do almoço no restaurante de um hotel em Lisboa. Fui o epicentro da parte mais colérica de uma conversa claramente ouvida nas mesas em redor. Sem fazerem recato, fui publicamente referenciado como sendo mentalmente débil (“um louco”) a necessitar de (“ir para o manicómio”). Fui descrito como “um profissional impreparado”. Que injustiça. Eu, que dei aulas na Independente. A defunta alma mater de tanto saber em Portugal. Definiram-me como “um problema” que teria que ter “solução”. Houve, no restaurante, quem ficasse incomodado com a conversa e me tivesse feito chegar um registo. É fidedigno. Confirmei-o. Uma das minhas fontes para o aval da legitimidade do episódio comentou (por escrito): “(…) o PM tem qualidades e defeitos, entre os quais se inclui uma certa dificuldade para conviver com o jornalismo livre (…)”. É banal um jornalista cair no desagrado do poder. Há um grau de adversariedade que é essencial para fazer funcionar o sistema de colheita, retrato e análise da informação que circula num Estado. Sem essa dialéctica só há monólogos. Sem esse confronto só há Yes-Men cabeceando em redor de líderes do momento dizendo yes-coisas, seja qual for o absurdo que sejam chamados a validar. Sem contraditório os líderes ficam sem saber quem são, no meio das realidades construídas pelos bajuladores pagos. Isto é mau para qualquer sociedade. Em sociedades saudáveis os contraditórios são tidos em conta. Executivos saudáveis procuram-nos e distanciam-se dos executores acríticos venerandos e obrigados. Nas comunidades insalubres e nas lideranças decadentes os contraditórios são considerados ofensas, ultrajes e produtos de demência. Os críticos passam a ser “um problema” que exige “solução”. Portugal, com José Sócrates, Pedro Silva Pereira, Jorge Lacão e com o executivo de TV que os ouviu sem contraditar, tornou-se numa sociedade insalubre. Em 2010 o Primeiro-ministro já não tem tantos “problemas” nos media como tinha em 2009. O “problema” Manuela Moura Guedes desapareceu. O problema José Eduardo Moniz foi “solucionado”. O Jornal de Sexta da TVI passou a ser um jornal à sexta-feira e deixou de ser “um problema”. Foi-se o “problema” que era o Director do Público. Agora, que o “problema” Marcelo Rebelo de Sousa começou a ser resolvido na RTP, o Primeiro Ministro de Portugal, o Ministro de Estado e o Ministro dos Assuntos Parlamentares que tem a tutela da comunicação social abordam com um experiente executivo de TV, em dia de Orçamento, mais “um problema que tem que ser solucionado”. Eu. Que pervertido sentido de Estado. Que perigosa palhaçada.

 
 
 
[Texto de opinião escrito pelo jornalista Mário Crespo, para o Jornal de Noticias de dia 1 Fevereiro de 2010, não publicado]
 

Segundo a informação que acabo de receber, mas que ainda não consegui confirmar, este texto foi censurado pelo director do Jornal de Notícias. E não foi publicado como costuma ser à 2.ª feira. A confirmar-se isto é muito grave, sendo mais um episódio de manipulação e interferência na liberdade de opinião em Portugal. O conteúdo do texto também é revelador do tipo de gente que nos governa. Voltaremos a este assunto. Adenda: entretanto consegui confirmação por fonte próxima de Mário Crespo. O jornal Sol também já dá a notícia confirmada pelo próprio jornalista.

 

 

 

 

publicado por Verde Pinho às 18:50
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Agosto 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.links da zona
.arquivos

. Agosto 2011

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Setembro 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

blogs SAPO
blogs SAPO
.subscrever feeds