Sábado, 19 de Setembro de 2009
A NOSSA VITÓRIA ELEITORAL SERÁ A VITÓRIA DE MAÇÃO!

 

 

Mensagem da Chaveira

1. Quem sou

Nasci na Chaveira no ano de 1946.

Aqui fiz a Instrução Primária, aqui aprendi a jogar à bola, com bolas de farrapos.

Com grande sacrifício de meus pais - hoje são apontados elogiosamente por isso - fui estudar para o então Colégio D. Pedro V de Mação.

A Profª Tani, uma das filhas do Prof. Lalanda (a outra era a Profª Mariazinha), chamáva-nos, "bichos do mato", ela lá sabia porquê.

Eram tempos em que que os mais novos, ao ver chegar de Santarém os colegas com o 5º Ano feito, os olhavam com admiração, muito respeitinho e algum temor reverencial.

Eram tempos em que os de Cardigos só iam à terra três vezes por ano, nas férias.

Foram tempos, no entanto, inesquecíveis. Costumo dizer que tenho três categorias de amigos: os de infância, os do Colégio de Mação e os da Guerra Colonial.

Feito o 5º Ano rumei a Lisboa, lá estudei, lá trabalhei, lá constituí família. Sem nunca esquecer a terra onde nascera, aonde regressava sempre.

Já como trabalhador-estudante - funcionário do 7º Bairro Fiscal, em edifício onde é hoje, curiosamente, a sede da Fundação Mário Soares - com o 7º Ano incompleto, a Guerra Colonial levou-me para Moçambique. Daí regressei em 1971.

Em 1973 ingressei na Caixa Geral de Depósitos. Em 1982 obtive a licenciatura em Direito, curso nocturno da Faculdade de Direito de Lisboa - cujas portas me foram abertas graças ao 25 de Abril - passando a exercer advocacia ao serviço da CGD, até à aposentação.

Por volta de 2004 comecei a pintar e em 2005, incrivelmente, obtive uma menção honrosa na 2ª Bienal de Artes de Mafra e, no ano seguinte, vi um dos meus quadros ser seleccionado para a 8ª Bienal de Montijo. Em 2007 obtive o 2º Prémio no Concurso de Pintura de Vila de Rei. Já expus a minha pintura em Mafra, Mação, Proença-a-Nova, Vila de Rei, Almada, Ericeira e Lisboa. Perdõem-me tanta imodéstia!

2. A antiga Escola de Chaveira é hoje um verdadeiro Centro Cultural e eu tenho a honra de ter sido um dos seus fundadores, embora apenas no plano formal, pois a alma do projecto tem sido a minha irmã Gracinda, também ex-estudante do Colégio D. Pedro V. Na Chaveira já organizei 2 concursos de espantalhos e 1 de hortas. Bom, tudo isto é nada. E tão pouco, justificará os convites que, inesperadamente, recebi?

3. Convites que muito me honraram.

4. Porque aceitei?

- Pela amizade e muita consideração que me merecem as pessoas que inicialmente me convidaram para integrar as listas da Junta de Freguesia de Cardigos – o António Manuel Silva, dos Vales, e o António Manuel Martins, de Cardigos - pessoas de inegáveis e reconhecidas qualidades profissionais, intelectuais, morais e cívicas.

- Depois, o conhecer os restantes camaradas da lista, constituíu para mim um imenso prazer, não só por encontrar nela dois dos meus antigos colegas do Colégio de Mação – o Abílio Tavares e o João Caetano (para nós o "Joãozinho) -, como encontrar os restantes conterrâneos, alguns meus amigos e, perdoem-me que destaque uma mulher que muito admiro- a Carla - uma excepcional cantora lírica.

- Por acreditar que com esta equipa será possível a MUDANÇA, isto é, pôr fim aos inacreditáveis e tão longos 30 anos de marasmo em que Mação se encontra.

- Por saber, de antemão, quem era o candidato a Presidente da Câmara Municipal de Mação, Nuno Neto. Confesso que apenas o conheci pessoalmente há alguns dias, exactamente na 1ª reunião em Cardigos em que nos apresentámos, perante ele, como candidatos à Junta.

Sendo, no entanto, um leitor atento do "VMT", o modo como ele, ao longo de anos e em cada número deste jornal, sistematicamente tem observado Mação, coincide, em absoluto, como eu o observo também. Habituei-me a admirá-lo, a identificar-me inteiramente com as suas reflexões e análises, sempre tão pertinentes e certeiras sobre Mação, como tem sido mal governado e como poderia ser melhor governado.

Agora que o conheci pessoalmente, confirmei as minhas expectativas, vejo nele a pessoa certa para MUDAR Mação, coadjuvado, evidentemente, pela sua equipa. Estou certo que com as suas ideias e sonhos, a nossa Terra se há-de tornar mais próspera, mais moderna, mais solidária, mais participativa, mais dialogante. A nossa Terra há-de tornar-se um espaço onde se viva melhor, um espaço mais amigo das pessoas, com uma dinâmica cultural e educativa própria.

5. Sendo a minha primeira intervenção neste fórum, não me vou alongar hoje, penso cá voltar oportunamente. Mas quero deixar esta promessa: tudo farei para não defraudar as expectativas que em mim depositaram, e tentarei, como aconselha Pessoa, pôr tudo o que sei no mínimo que faça.

A NOSSA VITÓRIA ELEITORAL SERÁ A VITÓRIA DE MAÇÃO!

Abraços fraternos.

Mário Tavares Dias (MárioGaliza)

 

 

http://maismacao.blogspot.com/2009/08/mensagem-da-chaveira.html

 

Colocado por Mais Mação

 

publicado por Verde Pinho às 14:30
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Celia Monteiro a 22 de Setembro de 2009 às 17:42
Concordo; devemos votar mais nos homens e mulheres que melhor defendem a nossa maneira de viver e a maior mancha verde do interior de Portugal. Acredito sim nas pessoas mas não em grandes partidos dinossauros.

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Agosto 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.links da zona
.arquivos

. Agosto 2011

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Setembro 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

blogs SAPO
blogs SAPO
.subscrever feeds