Sábado, 19 de Setembro de 2009
A NOSSA VITÓRIA ELEITORAL SERÁ A VITÓRIA DE MAÇÃO!

 

 

Mensagem da Chaveira

1. Quem sou

Nasci na Chaveira no ano de 1946.

Aqui fiz a Instrução Primária, aqui aprendi a jogar à bola, com bolas de farrapos.

Com grande sacrifício de meus pais - hoje são apontados elogiosamente por isso - fui estudar para o então Colégio D. Pedro V de Mação.

A Profª Tani, uma das filhas do Prof. Lalanda (a outra era a Profª Mariazinha), chamáva-nos, "bichos do mato", ela lá sabia porquê.

Eram tempos em que que os mais novos, ao ver chegar de Santarém os colegas com o 5º Ano feito, os olhavam com admiração, muito respeitinho e algum temor reverencial.

Eram tempos em que os de Cardigos só iam à terra três vezes por ano, nas férias.

Foram tempos, no entanto, inesquecíveis. Costumo dizer que tenho três categorias de amigos: os de infância, os do Colégio de Mação e os da Guerra Colonial.

Feito o 5º Ano rumei a Lisboa, lá estudei, lá trabalhei, lá constituí família. Sem nunca esquecer a terra onde nascera, aonde regressava sempre.

Já como trabalhador-estudante - funcionário do 7º Bairro Fiscal, em edifício onde é hoje, curiosamente, a sede da Fundação Mário Soares - com o 7º Ano incompleto, a Guerra Colonial levou-me para Moçambique. Daí regressei em 1971.

Em 1973 ingressei na Caixa Geral de Depósitos. Em 1982 obtive a licenciatura em Direito, curso nocturno da Faculdade de Direito de Lisboa - cujas portas me foram abertas graças ao 25 de Abril - passando a exercer advocacia ao serviço da CGD, até à aposentação.

Por volta de 2004 comecei a pintar e em 2005, incrivelmente, obtive uma menção honrosa na 2ª Bienal de Artes de Mafra e, no ano seguinte, vi um dos meus quadros ser seleccionado para a 8ª Bienal de Montijo. Em 2007 obtive o 2º Prémio no Concurso de Pintura de Vila de Rei. Já expus a minha pintura em Mafra, Mação, Proença-a-Nova, Vila de Rei, Almada, Ericeira e Lisboa. Perdõem-me tanta imodéstia!

2. A antiga Escola de Chaveira é hoje um verdadeiro Centro Cultural e eu tenho a honra de ter sido um dos seus fundadores, embora apenas no plano formal, pois a alma do projecto tem sido a minha irmã Gracinda, também ex-estudante do Colégio D. Pedro V. Na Chaveira já organizei 2 concursos de espantalhos e 1 de hortas. Bom, tudo isto é nada. E tão pouco, justificará os convites que, inesperadamente, recebi?

3. Convites que muito me honraram.

4. Porque aceitei?

- Pela amizade e muita consideração que me merecem as pessoas que inicialmente me convidaram para integrar as listas da Junta de Freguesia de Cardigos – o António Manuel Silva, dos Vales, e o António Manuel Martins, de Cardigos - pessoas de inegáveis e reconhecidas qualidades profissionais, intelectuais, morais e cívicas.

- Depois, o conhecer os restantes camaradas da lista, constituíu para mim um imenso prazer, não só por encontrar nela dois dos meus antigos colegas do Colégio de Mação – o Abílio Tavares e o João Caetano (para nós o "Joãozinho) -, como encontrar os restantes conterrâneos, alguns meus amigos e, perdoem-me que destaque uma mulher que muito admiro- a Carla - uma excepcional cantora lírica.

- Por acreditar que com esta equipa será possível a MUDANÇA, isto é, pôr fim aos inacreditáveis e tão longos 30 anos de marasmo em que Mação se encontra.

- Por saber, de antemão, quem era o candidato a Presidente da Câmara Municipal de Mação, Nuno Neto. Confesso que apenas o conheci pessoalmente há alguns dias, exactamente na 1ª reunião em Cardigos em que nos apresentámos, perante ele, como candidatos à Junta.

Sendo, no entanto, um leitor atento do "VMT", o modo como ele, ao longo de anos e em cada número deste jornal, sistematicamente tem observado Mação, coincide, em absoluto, como eu o observo também. Habituei-me a admirá-lo, a identificar-me inteiramente com as suas reflexões e análises, sempre tão pertinentes e certeiras sobre Mação, como tem sido mal governado e como poderia ser melhor governado.

Agora que o conheci pessoalmente, confirmei as minhas expectativas, vejo nele a pessoa certa para MUDAR Mação, coadjuvado, evidentemente, pela sua equipa. Estou certo que com as suas ideias e sonhos, a nossa Terra se há-de tornar mais próspera, mais moderna, mais solidária, mais participativa, mais dialogante. A nossa Terra há-de tornar-se um espaço onde se viva melhor, um espaço mais amigo das pessoas, com uma dinâmica cultural e educativa própria.

5. Sendo a minha primeira intervenção neste fórum, não me vou alongar hoje, penso cá voltar oportunamente. Mas quero deixar esta promessa: tudo farei para não defraudar as expectativas que em mim depositaram, e tentarei, como aconselha Pessoa, pôr tudo o que sei no mínimo que faça.

A NOSSA VITÓRIA ELEITORAL SERÁ A VITÓRIA DE MAÇÃO!

Abraços fraternos.

Mário Tavares Dias (MárioGaliza)

 

 

http://maismacao.blogspot.com/2009/08/mensagem-da-chaveira.html

 

Colocado por Mais Mação

 

publicado por Verde Pinho às 14:30
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 29 de Abril de 2009
O Povo do Pinhal Inte...

Se é mentira porque não processa Sócrates o Charles Smith???? Sim, Porquê? Porquê? Porquê? Porquê? Porquê? Porquê?...

Ler artigo
publicado por Verde Pinho às 05:14
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Agosto 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.links da zona
.arquivos

. Agosto 2011

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Setembro 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

blogs SAPO
blogs SAPO
.subscrever feeds